This book is in Open Review. We want your feedback to make the book better for you and other students. You may annotate some text by selecting it with the cursor and then click the on the pop-up menu. You can also see the annotations of others: click the in the upper right hand corner of the page

Prefácio



Consultor em jurimetria
Associação Brasileira de Jurimetria
São Paulo, Brasil
jjesus@abj.org.br

Atualizado pela última vez Segunda Feira, 11 de novembro, 0518





Para muitos pode soar estranho introduzir estatística e machine learning a estudantes de Direito. Afinal muitos foram estudar direito porque possuem maior habilidade com as letras do que com os números. Outros são céticos em relação à colonização do Direito pelas ciências exatas.

Jurimetria não é propriamente Direito, mas sim o uso de métodos quantitativos sobre a aplicação do Direito. Nesse sentido, a princípio pode parecer que o jurimetrista não deveria ser um jurista ou um estudante de direito, mas sim uma estatística ou uma cientista da computação. Minha experiência diz o contrário.

Eu cresci convencido de que iria cursar uma faculdade de exatas. Acompanhar uma demonstração de uma formulação matemática sempre foi um deleite, redigir um parágrafo que fluísse bem, um desafio. Esta limitação em humanas, dentre outras razões, levou-me a optar pelo direito. Advoguei por muitos anos, mas nunca senti que minhas habilidades estavam sendo aproveitadas. Sempre me deparava com estudantes ou juristas autenticamente vocacionados para o direito, jamais me senti assim. Ao tentar abandonar o Direito, por obra do acaso, caí na estatística e conheci a Associação Brasileira de Jurimetria. Talvez este tenha sido um dos momentos mais importantes na minha vida profissional.

O encontro entre o Direito e a estatística pode ser extremamente fecundo. O jurista está sempre pensando em qual a melhor estratégica para alcançar o desfecho processual desejado. Acontece que ele faz isso casuisticamente ou por meio de estudos de casos. A sua experiência, o bom senso e o senso comum orientam a sua estratégia. O cientista de dados, por sua vez, está mais preocupado em explicar o desfecho, independentemente da sua direção. O que orienta sua ação é a construção de hipóteses passíveis de serem testadas. Acontece que ao estatístico lhe falta familiaridade com dogmática do Direito. Falta-lhe pensar em termos das consequências jurídicas dos fatos. Por outro lado, a prática do direito figura como uma fonte inesgotável de dados, seja por meio dos atos processuais, da atuação da polícia judiciária, do Ministério Público, das perícias ou dos atos privados como os negócios jurídicos. Toda essa produção, quando submetida ao rigor metodológico que a estatística oferece, gera conhecimento sobre o direito com potencial para mudar a própria produção do direito.

O jurista porém, com raras exceções, não foi treinado para pensar a prática do direito sob uma abordagem empírico-metodológica. Ao ler projetos de pesquisa de estudantes de pós-graduação em direito, vejo perguntas tipicamente quantitativas com aplicações de métodos qualitativos. Parece-me evidente que se aqueles pesquisadores tivessem sido treinados para utilizar métodos quantitativos, suas pesquisas teriam gerado resultados melhores.

Convenções neste livro

  • Itálico novos termos, nomes, botões e similares.

  • Constant width text geralmente usado em parágrafos para indicar o código R. Isso inclui comandos, variáveis, funções, tipos de dados, bases e nomes de arquivos.

  • Constant width text on gray background indicates R code that can be typed literally by you. It may appear in paragraphs for better distinguishability among executable and non-executable code statements but it will mostly be encountered in shape of large blocks of R code. These blocks are referred to as code chunks.

Agradecimentos

Este trabalho não teria sido possível se não existisse a Associação Brasileira de Jurimetria, iniciativa do professor Marcelo Guedes, que teve a ventura de convidar um jovem estatístico para ajudá-lo a colocar em prática seus ideiais. Falo do Julio Trecenti que me iniciou no mundo da jurimetria. Na ABJ conheci jovens brilhantes como o Fernando Correia e o Caio Lente, os quais, juntamente com o Julio tiveram a paciência de me orientar quando minhas habilidades com a ciência da computação encontraram limitações.

Os professores Marcos e Lorena Barbiera me iniciaram no mundo dos métodos quantitativos. A eles um especial agradecimento. O ambiente colaborativo da comunidade do R foi terra fecunda onde plantei as sementes que hoje geram este e tantos outros frutos open source.


Creative Commons License

This book is licensed under the Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.